Jaciara - MT,
   
  Enquete
 
 
 
Mato Grosso
 
Gastando pouco, casal de MT cai na estrada e bomba no YouTube
Marilda e Dalcio Araújo inspiram internautas a saírem pelo mundo e gastam por mais de R$ 2 mil por mês

Postado em: 31/08/2020 09:01:28

Com mais de 64 mil inscritos em um canal no Youtube, o casal Marilda Beregula Araújo, de 54 anos, e Dalcio Conceição de Araújo, 51, chama atenção de aventureiros com vídeos feitos em suas viagens pela América do Sul em um motorhome.

 

O motorhome é uma casa sobre rodas que eles criaram a partir de um ônibus Mercedes, modelo 1984. Há quase quatro anos, o casal se aventura pelas estradas do continente.

 

Com direito até a imagens por drone, o canal Jabuti Motor Home ganhou notoriedade há pouco mais de dois anos, quando Dalcio e Marilda fizeram a rota da Transamazônica.

 

“É uma região que tem poucos vídeos no YouTube. Então, foi o momento em que o canal deu uma deslanchada boa. Os vídeos da Transamazônica, comparados com os outros, são bem visualizados”, conta Marilda.

 

Depois, quando a dupla passou pela Estrada da Morte, na Bolívia, o canal atingiu mais de 900 mil visualizações. Tudo por conta da ousadia do casal em contrariar as indicações dos colegas, que diziam para não ir.

 

“Muitas pessoas nos aconselhavam a nem ir, porque falavam que é perigoso, que a polícia é corrupta, um monte de histórias. Mas a gente tinha vontade de conhecer e fomos. A Bolívia é um País fantástico”, afirma.

 

Segundo a viajante, o público do canal é mais maduro, por conta dos vídeos serem mais longos. Também pela imagem que o casal passa, mesmo sendo de alma e personalidade mais jovem que muitas pessoas nos seus 20 e poucos anos.

 

“As pessoas de mais idade se identificam com a gente. Por isso, também, demorou um pouco mais para deslanchar. Mas a gente está muito contente”, relata Marilda.

 

Como tudo começou

 

Apesar do sucesso na internet, Marilda e Dalcio nunca pensaram que seriam youtubers. O único objetivo era viajar pelo Mundo de forma econômica.

 

“Era um sonho antigo. A gente trabalhou muitos anos, foi economizando e fazendo um pé de meia. A ideia era de que quando os filhos fossem maiores de idade e terminassem a universidade, a gente partiria para viagem. Só não sabíamos como iríamos viajar”, explica Marilda.

 

O casal, que está junto há mais de 30 anos, sendo ele de Diamantino e ela do Rio Grande do Sul, conheceu o modelo de motorhome em 2002 e isso os inspirou ainda mais a pegar a estrada.

 

Somente em 2016, Marilda e Dalcio adquiriram o ônibus que hoje é sua casa.

Reprodução/Acervo Pessoal

Jabuti motorhome

Ônibus de 1984 foi adapatado para ser uma casa sobre rodas

 

“O antigo dono estava com ele parado havia dois anos na fazenda. Ele sabia que a gente queria um motorhome, porque a gente já tinha pedido para conhecer, mas não tínhamos dinheiro”, relembra Marilda.

 

Mas Dalcio teve a ideia de trocar um terreno que eles tinham pelo veículo. O proprietário aceitou e desde então o casal trocou a casa fixa em Sinop por uma sobre rodas capaz de levá-lo a qualquer canto.

 

Com 11 metros, o ônibus foi totalmente adaptado com geladeira, cozinha completa, cama de casal, beliche, sofá-cama, banheiro, ar condicionado e até painel solar.

 

“A gente já dormiu em seis pessoas [dentro] bem tranquilo”, conta Marilda.

 

Mas o canal começou somente como uma forma de guardar um registro das viagens para o casal.

 

Marilda conta que eles viajaram para o Chile de caminhonete e barraca para acampar. Em Santiago, tiveram o vidro do veículo quebrado e o notebook com imagens de dois meses de estrada furtado.

 

Quando retornaram para Sinop, onde estavam morando, um dos filhos sugeriu que criassem um canal para servir como um “backup” do registro dos passeios, já que o pai fazia edição de vídeo, mesmo que bem simples.

 

“Nunca a gente imaginou publicar vídeos para as pessoas assistissem. Eram arquivos nossos. Quando a gente passou a morar no motorhome, o próprio YouTube mandou uma proposta para colocar propagandas e passar a monetizar”, afirma.

 

Viagens pelo Brasil e América do Sul

 

Mesmo já tendo visitado países vizinhos de caminhonete, as primeiras viagens com o motorhome Jabuti foram dentro do próprio País.

 

Durante dois anos e quatro meses, Marilda e Dalcio rodaram o Brasil de Norte a Sul. Só não conseguiram visitar Amapá e Roraima por conta da dificuldade com as estradas. Porém, eles dizem que ainda não desistiram dos dois estados.

 

Em 2019, os aventureiros inciaram uma viagem por países da América do Sul, saindo por Corumbá, no Mato Grosso do Sul.

 

“Saímos pela Bolívia, Peru, Chile, Argentina e no retorno a gente passaria no Uruguai”, relata Marilda.

 

"Para ir aos países vizinhos a gente fez um roteiro prévio. Por exemplo, planejamos sair por Corumbá, por conta da estrada, mas não sabíamos como e nem que dia iríamos chegar lá. A gente tem bastante tempo”, brinca Dalcio.

 

Reprodução/Acervo Pessoal

Jabuti motorhome

Casal iniciou viagem por países da América do Sul, mas foi interrompida pela pandemida da Covid-19

 

Mas, de repente, o casal precisou interromper o roteiro por causa da pandemia do novo coronavírus, que tomava conta do Mundo. Com as fronteiras fechadas, eles retornaram para Mato Grosso, sem ir ao Uruguai.

 

Atualmente, os viajantes estacionaram em Diamantino, onde mora a família de Dalcio. Nesse tempo, a dupla chegou a fazer alguns passeios em locais isolados do Norte do Estado para não se expor ao vírus, mas também sem deixar de lado a intensa vontade de se movimentar.

 

“Fomos para áreas isoladas, como rio, floresta. Sem parar nas cidades”, comenta Dalcio.

 

Marilda conta que se apaixonou por lugares belíssimos, como o Deserto do Atacama, no Chile, Salar de Uyuni, na Bolívia, e Machu Picchu, no Peru. Mas os melhores destinos são aqueles em que o casal cria um vínculo com os moradores.

 

“Lugar bonito é aquele onde, além das imagens, você leva sentimento. Onde a gente conhece pessoas, a gente leva sentimentos. Marca muito mais. Quando a gente lembra do lugar, a gente lembra daquele sentimento de alegria que a compartilhou”, afirma a aventureira.

 

Planejamento e custos

 

O casal se diverte ao revelar que não planeja as viagens. Eles simplesmente escolhem um destino e colocam o pé na estrada. Porém, ao se depararem com algo que chame atenção no meio do caminho, a rota pode ser desviada.

 

Eles também se orgulham de não se preocupar com que dia vão chegar à cidade desejada ou se terão tempo suficiente.

 

“Nós não planejamos. A gente passa no posto e enche o tanque. Nós somos milionários porque temos todo o tempo. Quem tem esse tempo?”, questiona o marido.

 

Como o casal não é aposentado e vive de alugueis, eles conseguem viver o sonho de viajar com poucos recursos financeiros. Marilda diz que gastam cerca de R$ 2 mil por mês, mas sem nunca extrapolar o limite.

 

“A maioria das pessoas, assim como nós antes de viver no motorhome, pensa que é muito caro. É caro o veículo no Brasil, mas para viver na estrada, no Brasil, gastamos em média R$ 2 mil por mês”.

 

Segundo a viajante, o diesel é a parte que mais pesa no bolso. Porém o casal consegue custear com o que ganha do YouTube, cujos valores não revelam. Para conseguir dar conta, às vezes, a dupla anda pouco e passa mais tempo estacionado em algum local.

 

“Como a gente tem um limite de renda no mês, a gente se adapta dentro daquele limite. A gente roda pouco no mês, roda 20 km, para dois ou três dias, depois roda mais 50km, para por dois a três dias. Dependendo do lugar, a gente fica até uma semana”, explica a esposa.

 

Alguns internautas também doam para o casal, mesmo sem eles pedirem. Esse dinheiro é destinado a equipamentos para gravar os vídeos e pagar alguns passeios mais caros.

 

“A gente nunca fez campanha para arrecadar dinheiro, mas as pessoas pedem a conta e a gente aceita”, diz Marilda.

 

Reprodução/Acervo Pessoal

Jabuti motorhome

Casal trocou a casa fixa por uma capaz de rodar por todos os lugares

Incentivo para seguidores

 

Marilda revela que o canal já influenciou diversos internautas a seguirem o mesmo sonho.

 

Ela conta que muitos têm medo de pegar a estrada e morar em uma casa móvel. Mas a viajante tranquiliza os internautas dizendo que nunca viveu situações de violência em suas viagens.

 

O casal diz que já recebeu diversas mensagens e fotos de seguidores que foram inspirados pelo canal a pegarem estrada. Alguns até conheceram pessoalmente.

 

Apesar de passar muito tempo na estrada, os dois dizem que não sentem saudades de uma casa fixa. Eles sentem falta apenas da família e os amigos mais próximos.

 

Porém, o problema é facilmente resolvido com a ajuda da tecnologia.

 

“A saudade da casa fixa não existe. A nossa casa é essa aqui. A gente sente saudade da família, dos filhos, netos, dos amigos mais próximos. Mas tem o WhatsApp, onde a gente conversa, faz vídeochamada”, afirma o marido.

 

Acesse o canal Jabuti Motorhome aqui.

Fonte: www.midianews.com.br
 

 
0 Comentário(s)
 
Postar Comentário
 
Nome:
E-mail:
Comentário:
 
 
Veja Também

2